Tycho Brahe

Quando olhamos para o mundo da Astronomia surgem logo nomes como Galileu, Newton, Einstein, Hubble que, de uma forma ou de outra, marcaram na sua época o mundo científico. Contudo, existem muitos outros que foram igualmente importantes, mas que fora do circulo científico, são pouco reconhecidos, ao contrário do que acontece com os outros. Um desses exemplos é o de Tycho de Brahe, considerado como o maior astrónomo do seu tempo. As suas observações, antes da invenção do telescópio, deram um novo rumo à Astronomia.

Tycho Brahe nasceu na Scania, Dinamarca (atual Suécia), a 14 de dezembro de 1546. Estudou em Copenhaga e em Leipzig. No início, e a pedido do seu padrinho, com quem viveu desde os 2 anos, estudou Direito e Filosofia, embora gostasse muito de Astronomia. Grande observador do céu, aos 16 anos, uma conjugação entre Saturno e Júpiter fê-lo comprovar que as Tábuas Afonsinas eram incorretas, porque previam com um mês de atraso o acontecimento. Graças ao seu espírito obsessivo e minucioso realizou observações exatas e criou instrumentos mais precisos do que os usados na sua época.

Em 1572, um facto viria a contradizer a visão do céu aceite até então. No entardecer de 11 de novembro, numa de tantas observações do céu, descobriu uma estrela  nunca antes vista na Constelação de Cassiopeia. Designou a estrela de Stella Nova (estrela nova) atualmente conhecida como supernova de Tycho. Observou-a durante um ano e meio, tentando calcular a distância com o método de paralaxe. Mas chegou à conclusão de que não tinha paralaxe, dada a enorme distância a que se encontrava.

Também realizou um catálogo astronómico com as posições precisas de 777 estrelas, que depois ampliou para 1000, e calculou a duração de um ano com um erro inferior a um segundo. As suas influências na corte de Federico II da Dinamarca permitiram a construção de dois observatórios na Ilha de Hven, (atual Suécia), onde fez medições sistemáticas.

Estes observatórios receberam os nomes de Uraniborg (Cidade da Urânia) e Stjerneborg (Cidade das Estrelas). Em Uraniborg, instalou um laboratório onde realizava experiências de alquimia. Também contava com instrumentos por ele concebidos, cuja precisão lhe permitiu medir com exatidão as posições de estrelas e planetas.

Brahe não conseguiu afastar-se da visão aristotélica da sua época que colocava a Terra no centro do Universo. Esta visão estática levou-o a conceber um sistema semi-geocêntrico e semi-heliocêntrico, em que Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter e Saturno giravam à volta do Sol, este por seu torno girava, com os restantes planetas, à volta da Terra.

Era também apaixonado pela Astrologia, ciência praticada por muitos astrónomos da época que acreditavam que os astros influenciavam o caráter das pessoas. Morreu em Praga, onde vivera os seus últimos anos.

As observações do céu e os cálculos precisos realizados por Tycho Brahe foram muito mais que meros dados, demonstraram a necessidade de um método sistemático para o conhecimento astronómico.

brahe.jpg

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s