Uma outra Química # 3 Carlos Nieto de Castro

A terceira entrevista que trago (Uma outra QuímicaAlém da óbvia, existirá outra química que a complementa, nem que seja pela atracão ou pela reação às coisas mais prosaicas e mundanas da vida)  é a que foi realizada ao Professor Carlos Nieto de Castro, Professor Catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Para aguçar a curiosidade, deixo aqui apenas uma das perguntas e a sua respetiva resposta; o resto da entrevista poderão ver aqui.

Qual é a sua temperatura crítica, a partir da qual muda rapidamente de estado e o trabalho tem de dar necessariamente lugar ao ócio?

A temperatura crítica, no sentido termodinâmico do equilí brio de fases puras, é o ponto em que deixa de haver distinção entre o estado líquido e o estado gasoso. É o ponto em que a desordem vence a ordem, em que as forças de atrac ção entre as moléculas são ultrapassadas pelas forças de repulsão. Comigo acontece quando chego à conclusão de estar a ser pouco eficaz e pensar sem clareza. Nesta altura “passo pelas brasas” dez minutos (técnica muito avançada nas empresas / instituições mais eficientes) ou paro e vou para casa, conversar com os filhos ou entro no gabinete de um(a) colega para trocar ideias.

 

Anúncios

1 comentário a “Uma outra Química # 3 Carlos Nieto de Castro”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s