Peróxido de hidrogénio e Sangue

Todos nós já usámos ou continuamos a usar peróxido de hidrogénio no nosso dia-a-dia… Mas talvez o termo “água oxigenada” seja mais familiar.

Nós usamos o peróxido de hidrogénio como antisséptico, sendo que ele não é assim tão bom como antisséptico como se pensa, mas é ótimo para limpar ligeiramente, mas não de forma profunda.

Todos nós já gritamos quando a nossa mãe ou a nossa avó colocaram água oxigenada numa das nossas feridas, mas gostamos imenso da ver quando começa a borbulhar. É justamente sobre este borbulhar que vamos falar hoje.

A formação destas bolhas é divertida, mas como tudo na vida tem uma explicação científica. 😊

A formação de espuma acontece porque as células que constituem o sangue contêm catalase. Quando fazemos um corte, existem várias células danificadas e não-danificadas no local, logo há imensa catalase disponível naquela área.

Quando a catalase presente nas células sanguíneas e o peróxido de hidrogénio se encontram originam água e oxigénio, sob a forma de gás; logo, o borbulhar que vemos na ferida corresponde a oxigénio a ser libertado.

A catalase é uma enzima bastante eficiente e consegue realizar até 200.000 reações por segundo.

Não quero que andem a brincar com sangue por aí, mas podem experimentar numa batata, tem exatamente o mesmo efeito.

Boas experiências e digam-nos como é que correu.

Até à próxima!

Advertisement

Um pensamento em “Peróxido de hidrogénio e Sangue”

  1. Nossa, eu tava atrás da equação de reação entre o peróxido e o sangue, caí aqui e adorei a tua explicação. Parabéns!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s