Arquivo de etiquetas: Concurso jovens Cientistas

25º Concurso Jovens Cientistas / 11º Mostra Nacional de Ciência

Nos dias 1, 2 e 3 de junho decorreu o 25º Concurso Jovens Cientistas / 11º Mostra Nacional de Ciência. Foi com enorme prazer que participei como júri que pude constatar presencialmente a excelência dos trabalhos, bem como o entusiasmo dos jovens.

Aliás, uma das coisas que mais apreciei foi verificar que os jovens estavam contentes em participar e mostrar o que faziam! Todos eles estavam extremamente motivados para falarem dos seus trabalhos. Confesso que não estava à espera de tanto entusiasmo, mas gostei de ver.

giphy

Também me surpreendeu a qualidade dos trabalhos, havia trabalhos que me pareceram de qualidade muito superior à que esperaria ver num concurso destinado a “estudantes a frequentar o ensino básico, secundário ou primeiro ano do ensino superior, em Portugal, com idades compreendidas entre os 15 e os 20 anos (sendo que devem ter menos de 21 anos a 30 de setembro e mais de 14 anos a 1 de setembro).”

Muitos parabéns a todos os participantes!

giphy1

Como era um concurso, queremos saber quem ganhou, como é óbvio!

Aqui fica a lista, retirada do REDATOR:

2017-06-03-16-29-10-redator-678x381
Imagem retirada do Redator

1º Prémio – €1.250 EASYPARK, área Engenharias, Esc.Sec.Oliveira do Bairro

Autores: Beatriz Sampaio Bastião, Luís Miguel Afonso Pinto, Olavo Filipe Saraiva

Professor: Joaquim Almeida

Selecionado para representar Portugal na final Europeia em Tallin (Estónia)


2º Prémio – €1.000 (mil euros)

Ex-aequo ShealS – Sea Heals Soil, Ciências Ambiente, Colégio Luso-Francês, Porto

Autores: Eduardo Nogueira, Francisca Martins, Gabriel Silva

Professor: Rita Rocha

Selecionado para representar Portugal na final Europeia em Tallin (Estónia)

Ex-aequo Compósito Antiséptico do Extrato da Planta Celidónia Magus, Ciências Médicas, EPT Oliva, Tábua

Autores: Bruno Paulino, Carlos Eduardo Quintino, Catarina Raquel Costa

Professor: Honorata Pereira


3º Prémio – €750 – Bioplástico a partir de amido de MandiocaEscola Portuguesa de Moçambique – CELP

Autores: Beatriz Amado, Francisco Marques Fernandes, Rushali Sacarlai

Professor: Margarida Duarte


4º Prémio – €600 – Cultura cabisbaixaEsc. Prof. Gustave Eiffel, Entrocamento

Autores: Ana Catarina Ambrosio, Filipe Marinho

Professor: M.Fátima Roldão


5º Prémio – €400 – Halobactérias: uma bomba anti-sal, Esc. Sec. Júlio Dinis, Ovar

Autores: Catarina Barata, M.João Lopes, Raquel Silva

Professor: Carlos Oliveira

Selecionado para representar Portugal no  Intel ISEF – Pittsburgh, Pensilvânia, EUA

Foram ainda distinguidos mais alguns prémios:

Prémio Especial Ambiente – €1.000, apoiado pela Agência Portuguesa do Ambiente, para distinguir o melhor trabalho realizado na área das Ciências do Ambiente.

Avaliação dos níveis de mercúrio de uma população de jovens portugueses entre os 12 e os 18 anos,Colégio Valsassina, Lisboa 

Autores: Afonso Morgado Mota, Bernardo Soares Alves, João Neto Dickson Leal 

Professor: João Carlos Gomes


Prémio Especial Lipor – €500, apoiado pela Lipor, para atribuir a um trabalho na área científica mais representada.

An Oiyl Solution,Colégio Valsassina, Lisboa 

Autores: Beatriz Gaspar, M.Inês Costa, Miguel Neto 

Professor: Andreia Luz


Prémio Porto Editora – €300 edições e publicações (exceto manuais escolares).

Inquérito sobre alimentação saudável, E.S. Augusto Gomes, Matosinhos 

Autores: Leonor Pereira Ferreira, Miguel Prisco Pala Filipe, Pedro Martin Andrade Pereira

Professor: Augusta Torres Pinto


Prémio Especial Professor Coordenador do 1º Prémio, no valor de €400: Prof. Joaquim Almeida, Esc.Sec.Oliveira do Bairro

________________________

O trabalho que mais gostei de ver foi o “An Oiyl Solution” apresentado por Beatriz Gaspar, M. Inês Costa, Miguel Neto  e coordenado pela Professora Andreia Luz. Abordava o tratamento da Malária – área onde tenho vindo a trabalhar (podem ver aqui) – e estava extremamente bem feito, como poderão constatar  pelo vídeo que eles generosamente me cederam:

Achei piada ao facto (um pouco mórbido, é verdade) de as batas deles terem asinhas de mosquito e eles andarem a distribuir cartõezinhos a dizerem que estávamos infetados com malária.

IMG_20170621_152326.jpg